Cenografia da montagem “Transtorna” da Cia. de Dança Palácio das Artes. A proposta é uma intervenção arquitetônica que busca alterar a relação entre palco e platéia: todas as 470 poltronas do primeiro setor do Grande Teatro do Palácio das Artes foram cobertas por um tablado de madeira — uma extensão do palco que cobriu a platéia e aumentou o palco em mais de 450 m2; criando um espaço liso, contínuo, ou um teatro “só-palco”. Através dessa mudança espacial, a cenografia desfaz a segregação de qualquer teatro: palco e platéia des-hierarquizados e reunificados arquitetonicamente. A expansão foi complementada por um cenário que se transforma a partir da evolução da própria coreografia (dirigida por Cristina Machado), onde caixas de papelão e plástico translúcido foram empilhadas, alinhadas, espalhadas e desorganizadas pelos dançarinos.

Transtorna é conseqüência da preocupação da Cia. de Dança Palácio das Artes em pesquisar o universo das cidades. Pensada inicialmente para um local fora do Grande Teatro, a cenografia terminou por transportar para dentro do teatro as questões exploradas no espetáculo: uma referência à condição da cidade contemporânea imaginada por uma equipe multidisciplinar de 21 bailarinos-criadores, o músico Daniel Maia, o figurinista Leo Piló e o iluminador Guilherme Bonfanti.

Fotos: Paulo Lacerda, Carlos Teixeira, Guto Muniz, Jomar Bragança

[