Jardim Morto II é um arranjo de troncos construído para o International Garden Festival, evento realizado anualmente em Quèbec (Canadá) que patrocina novas possibilidades, ideias de ponta e outros horizontes para a prática do paisagismo e da arquitetura efêmera.
Assim como Jardim Morto I, JD II sugere um corredor ativo de árvores mortas e tira proveito do processo de devir, comum a todo jardim. Desenhado como um fluxo horizontal, o projeto é  um viveiro envolto por uma rede que amortece a luz e cria uma ambiência para os troncos,  catalisando não só o movimento dos visitantes ao longo de seus corredores  mas também o crescimento de musgos e liquens sobre matéria morta. Os troncos de cedro foram encontrados dentro da floresta nas propriedades do Festival, e o jardim poderá funcionar como uma estufa onde os troncos serão pouco a pouco tomados por novos musgos.
Em sua 14 ª edição, a versão de 2013 do International Garden Festival apresentou seis novos projetos escolhidos em um concurso internacional disputado por 290 propostas de 23 países. Com visitação anual de 200.000 visitantes, a exposição fica em cartaz durante o verão canadense.
Fotos: Louise Tanguay, Martin Bond