“Enxertos Arquitetônicos” é uma forma de ver o jardim como um devir; como um processo contraditório onde as árvores são inicialmente agredidas pela intromissão de um elemento artificial – uma prótese – para, ao longo dos anos, incorporar essa agressão em seu crescimento.

Premiado no concurso para projetos executados de paisagismo Private Plots 2008 (Langenlois, Áustria) com o terceiro lugar, o júri assim (estranhamente) comentou o projeto: “Apesar de, por um ponto de vista ético, o projeto mostrar-se incômodo e irritante, ele comunica um novo vocabulário na investigação do jardim. As idéias são tão inovadoras quanto controversas e poéticas. Uma cortina de cetim cor-de-rosa, em vez de um cerca, coloca novas questões para o paisagismo; jogando com o contraste entre o natural e o sintético.”

Fotos: Carlos Teixeira, Eduardo Eckenfels