Concurso internacional para um parque em um subúrbio de Vancouver, Canadá. Parte do terreno, que é  vizinho a uma comunidade ecológica, alaga-se na estação chuvosa. Propusemos então um grande “pluviômetro” – piscinas para água pluvial, ver croquis na útima linha – que refletirá o ritmo dos fenômenos naturais tais como precipitação, evaporação e infiltração da água. O processo de destruição para implantarmos esse pluviômetro transformou-se em conceito para ocuparmos o resto do parque: as caixas espalhadas ao longo do terreno serão construídas com madeira das árvores destruídas para implantarmos o pluviômetro, e foram projetadas a partir da leitura dos fenômenos naturais (luz solar, vento, chuva, etc).