Vazio S/A

Boas notícias para tempos difíceis, título (muito apropriado) da última edição da V!rus, acaba de ser publicada. A revista é editada pelo Nômades da USP; Vazio S/A aparece com um texto sobre nosso projeto Outros Territórios, que deve ser realizado esse ano.
Uma boa notícia!

.

No comments | categoria[s]: Sem categoria
Compartilhar

foto: Carlos Teixeira; maquete: HS Maquetes

Maquete #3 é continuação de uma longa pesquisa iniciada no projeto Amnésias Topográficas I e no livro História do Vazio em Belo Horizonte (Carlos M Teixeira, Cosac Naify, 1999), e que pretendemos retomar em 2017 com o festival Outros Territórios.

Que 2017 seja o ano!

foto: Carlos Teixeira; maquete: HS Maquetes
ver também: Amnésias Topográficas I, Amnésias Topográficas II e Misunderstandings

Ex-bailarina da companhia de Merce Cunningham, a coreógrafa Marilyn Wood foi uma das pioneiras nas pesquisas entre dança e arquitetura. Em 1972, ela apresentou um espetáculo nas janelas e na praça do edifício Seagram em Nova York como parte de uma série que ela chamava de “Celebrations in City Places”. Hoje totalmente esquecida, a cenografia usava todos os 44 andares da fachada de vidro de um dos prédios mais emblemáticos da cidade e contava com 35 bailarinos para transformar janelas em palco. Com exceção da foto acima, não há praticamente nenhum registro sobre o evento na internet, mas a semelhança visual entre ele e alguns trabalhos do escritório é incrivelmente óbvia, especialmente nos projetos “Espaços Públicos Invisíveis” e “Spiral Booths“.

Temos o prazer de anunciar que “Gambiólogos”, cujo projeto expográfico é do Vazio S/A, foi premiada na XVIII Premiação do IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil!
+info: IAB webpage

“Misleadingly interlocked, ostensibly cantilevered and sumptuously textured” foi como o jornalista John Bezold, da prestigiada revista holandesa Mark (foto abaixo) iniciou sua apresentação da Casa no Cerrado. Uma outra bela resenha da mesma casa, Eupalinos no Cerrado, foi publicada  na revista AU pelo arquiteto e crítico Fernando Lara: “(…) Tudo convida a subir, a casa inteira existe nessa dicotomia entre o abrigo protegido abaixo e o desejo de ascensão ao cume da casa e do morro”.

Crítica sobre a exposição “Misunderstandings” na Galleria Campo, Roma, publicada na revista italiana Domus. Na imagem da capa, o nosso projeto “The Grid”!

Vazio S/A é um dos participantes da exposição “Misunderstandings” na Campo, uma galeria em Roma para “debater, estudar e celebrar arquitetura”. Os outros participantes da mostra que começa hoje são: Black Square, BuildingBuilding, Matilde Cassani, Lukas Feireiss, Saba Innab, LIST, Manthey Kula, OBRA, OMMX, PioveneFabi, e UHO.

Carlos Teixeira participará nesta terça da mesa redonda “Outras Narrativas”, que faz parte da programação da “Ser Urbano: 7ª Semana de Arquitetura e Urbanismo da PUC-Rio “. + info na página do evento.

Hoje a Vazio S/A estará na Semana Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em  Curitiba. Confira a programação completa na página da SAAU no Facebook

Outros Territórios
09/09/2016

O curador Eduardo de Jesus e Vazio S/A estão produzindo um festival de arquitetura e arte urbana no bairro Buritis, em Belo Horizonte.  Chamado de Outros Territórios, seu objetivo é discutir vazios urbanos ociosos e propor soluções para até 20 prédios “palafitados”. As 20  intervenções serão simultâneas e a realização do festival está prevista para julho de 2017. Se você por acaso mora num prédio palafitado e tiver interesse em participar, entre em contato conosco!
Mais informações em https://issuu.com/vazioarquitetura/docs/ct92-arq-ep-doc-amnesias-iv-concurs/1

Outros Territórios – perguntas e respostas

O que aconteceria nas “palafitas” no Buritis?
Várias intervenções efêmeras em várias palafitas ao mesmo tempo: uma projeção de vídeo, uma iluminação noturna, uma peça de teatro para plateia limitada, um projeto de paisagismo, escultura(s), pintura(s) etc. Será uma mudança instantânea na paisagem do bairro.

O objetivo é criar um festival que promoverá intervenções em uníssono. A quantidade de condomínios dependerá, primeiramente, da disponibilidade dos moradores em participar, cedendo-nos o espaço dos “paliteiros”; o segundo passo será captar recursos para viabilizar as intervenções. No momento estamos entrando em contato com vários síndicos e condomínios no sentido de definirmos uma rede de palafitas sujeitas a essas intervenções ambientais e culturais. Nosso objetivo é despertar a sensibilidade de todo o bairro e então promover diversas discussões simultâneas.

Os prédios seriam definitivamente alterados?
Não. A maior parte das intervenções ocorrerá somente durante o evento, outras poderão permanecer a critério do condomínio. A instalação de um projeto paisagístico, por exemplo, poderá ser efêmero ou permanente e terá potencial de transformar e requalificar o edifício.  (more…)

O parque H3o  está entre os 20 projetos latino-americanos selecionados para participar do prêmio colombiano Rogelio Salmona!!! Para se candidatar, o projeto deve ter potencial para melhorar o espaço público da cidade, ter sido construído há mais de cinco anos e demonstrar que ”vingou” – que tenha disparado mudanças estruturais duradouras.

A Casa do Cerrado foi publicada na revista italiana Domus; clique aqui.

Uma prévia do ensaio realizado pelo fotógrafo Gustavo Marx para a Madrepérola na Casa do Cerrado.

A revista americana Curbed publicou um ótimo artigo sobre nosso projeto Sobre-Aricanduva; clique aqui

O site russo BERLOGOS publicou nosso projeto Arqueologia Estrutural. Para ver o artigo completo, clique neste link.